Racismo, Discriminação Racial e Desrespeito na Marinha Mercante Brasileira

qua, fev 17, 2010, 972 views

Destaques  

Bookmark and Share

por Misael Berdeide

Muitos devem imaginar que o BlogMercante só falaria do “Racismo” (Sofrido por Negros, Índios e Nordestinos).

Pessoal, o buraco é bem mais embaixo. Os problemas são os mais variados possíveis. Acontecem em embarcações de bandeira Brasileira e Estrangeira. Acontece na Escola (EFOMM), acontece no CIAGA, no Sindicato e diversas empresas do Offshore. O que me deixa mais triste é ver Brasileiro aprovando ou fazendo “Vista Grossa” para essas aberrações. Estamos em 2010. O povo Brasileiro é uma mistura de raças. Há de tudo aqui. Não temos que aprovar essas atitudes. Quando esse tipo de coisa acontecer (Racismo ou Discriminação), temos que reportar para as autoridades. Temos que divulgar. Temos que levar ao conhecimento do Sindicato, mesmo que “Eles” digam que não é problema deles, como ocorreu comigo, quando eu enviei o vídeo do Oficial que foi agredido por um Comandante do Leste Europeu (Bêbado a bordo). Eu liguei pro Sindicato, pedi pra falar com qualquer Diretor. Um deles atendeu a minha ligação. Eu expliquei o problema, e o “Caboclo” meio que fez pouco caso, dizendo que não era com ele. Eu insisti, e falei que era com ele! E enviei o vídeo.

Recentemente eu fui chamado atenção por um Oficial (CLC) que se sentiu prejudicado por ver o BlogMercante divulgando “Bizú” de trabalho para o “Paraense”. Ele não gostou, e eu fiquei sem entender. Porque o Paraense não tem direito de ter informações interessantes sobre a carreira?

O que tem de “Vapozeiro” sendo humilhado em Plataforma e Rebocador, na Bacia de Campos, não esta no “Gibi”. E o pior disso, é que isso acorre com o consentimento de Brasileiros. Não há união. Não há solidariedade entre nós. É incrível. Temos força. Somos maioria. Estamos em nosso território. Temos que cobrar uma atuação enérgica nesse assunto. Colocar nota em revista não é trabalho do Sindicato. Além de nós Oficiais e Subalternos informar tais aberrações, temos que cobrar uma atitude das autoridades. É por isso que eu falo que não temos Fórum ou Debate sério na Marinha Mercante Brasileira. Não há discussão séria.

Há quanto tempo ocorre esses problemas de desrespeito a marítimo em terminais e portos do Brasil? Há séculos. E hoje, em 2010, que o Sindicato tomou atitude. Querem mais um exemplo? Em 100% das Edições da Revista Unificar eu vejo o Presidente, ou um Diretor ou Delegado tirando foto com Militares (Capitão dos Portos, Almirante e etc.) Certo? Estou mentindo? Eles se reúnem, conversam…. mas lá no CIAGA.. o desrespeito continua acontecendo!!!!!! Somos tratados no CIAGA como Cachorros!!! Isso vai acabar quando?? Vai ser preciso um “Vapo” sair no tapa com algum militar, para o Sindicato estampar na Capa da Revista que Militares agridem Marítimo??

Se o meu representante se reúne com o Almirante, com o Capitão dos Portos, porque esse tipo de assunto não é colocado em pauta?

Pessoal… abram o olho..

Leia também: Com o rabinho entre as pernas

12 Respostas para “Racismo, Discriminação Racial e Desrespeito na Marinha Mercante Brasileira”

  1. Breno Bidart:

    Berdeide
    Muito boa a sua colocação.Sofremos todos os tipos de racismos,discriminação e preconconceitos em tudo quanto é lugar no que diz respeito à marinha mercante. Sutilmente eu dei um exemplo no meu artigo: Com o rabinho entre as pernas,literalmente.
    Esse é um assunto muito sério em que os marítimos já se acostumaram com isso.TEM TAMBÉM QUE SER LEVANTADO TUDO QUE SE DIZ RESPEITO AO ASSÉDIO MORAL. A bordo eu vejo o assédio moral o tempo todo. Ninguém toma atitude.
    Este é um assunto que eu sempre quis ver discutido. Mas uma venda nos olhos de todos impede que alguma coisa aconteça. Já vi amigos meus perder emprego por não aceitar o assédio moral. Acho que a maioria do pessoal de bordo não sabe o que é isso e os que sabem fica impotentes frente tantos obstáculos para enfrentar o problema.
    Já vi coisas tão absurdas que fico com receio de narrar aqui e ninguém acreditar. Não narro pois, para ter credibilidade eu teria que citar nomes.
    Eu sempre achei que o sindicato deveria ter, além de uma diretoria de saúde ou SMS, um braço da área jurídica para orientar sobre esse assunto.Vou ficar por aqui pois, se eu me empolgar eu escrevo um livro e ninguém lê.
    Breno Bidart

    Responder

    • Paulo:

      Ola gostaria de saber como faço para denunciar um Gringo Espanhol que esta ofedendo a todos aqui na Plataforma da Odebrecht – Norbe VI , precisamos urgente que seja feito algo para expulsar esse verme do Brasil

      Responder

  2. Erik:

    Chefe Breno, Pode ter certeza que eu vou ler, a acredito que muitos iram ler também!

    Quanto ao assedio moral, ja cansei de ver também isto a bordo, tanto por Brasileiros quanto e principalmente por gringo praticando contra nos, mas as pessoas tem receio medo, e muitas vezes vejo um apoio de alguns brasileiros a favor do gringo, ou achando que isso é assim mesmo, que sempre foi assim, ou que “eles é quem mandam”, sabe eu nem bato mais boca nem gasto mais saliva com estes, principalmente se forem terrestres a bordo, porem vapo de verdade, nao se conforma com isto, pois este é nosso habitat este é nosso mar, esta é nossa profissão e nosso lugar.

    Sds Marítimas
    Erik

    Responder

  3. Rodrigo Augusto:

    É algo realmente mto ruim e desanimador.
    Imagina saber q dentro das próprias águas brasileiras existem navios de tripulação mista, onde brasileiros são tratados q nem lixo, simplesmente por serem brasileiros. É algo incompreensível, século 21, e ainda o homem ve o outro homem diferente. E principalmente em um ambiente de trabalho onde dividimos as msmas angústias, insatisfações e etc.
    Não vale a pena ficar parado e deixar as coisas como estão, o Sindicato existe, eu acho q sim!

    Responder

  4. Laise do Socorro:

    Na minha opnião, pior que estrangeiro prepotente “unicos donos” do conhecimento e capacidade como eles se acham, é o brasileiro que rebaixa outro brasileiro, discrimanando por região ou por sexo. Lembro uma vez no orkut, fui dar uma opnião e so levei desaforo por eu ser Paraense, de uma pessoa que nem coragem teve de mostrar a cara, postando como anônimo. Alguma empresas ja possuem uma politica de preconceito, seja ele de qualquer tipo, basta preencher o formulário e encaminhar para a empresa. Isso deveria ser mais um paragrafo nos ACTs, nos dando segurança pra recorrer caso haja necessidade.

    Responder

  5. Denison:

    Muito bom comentario Laise !
    Realmente existe tambem a questao da discriminacao com as mulheres na Marinha Mercante e gostaria de ouvir mais comentarios deste tipo, apesar de ja termos a primeira mulher no comando de um navio de grande porte.
    No caso de gravidez, li a reportagem interessante da ON Ana Paula Sanchez na revista Unificar e, acredito que a lei precisa ser melhorada, principalmente a favor das maritimas !

    Responder

  6. Misael Berdeide:

    Bem lembrado Denison.

    Falta nossas Oficiais se manifestarem. Eu vejo tanta mulher reclamando… a hora é essa.

    Responder

  7. Laise do Socorro:

    O Post sobre o preconceito à mulher ja esta sendo feito pelas 3 oficiais, mas posso ir adiantando que há muito preconceito ainda sim, eu ja passei por isso, e é muito chato, tanto por parte da empresa quanto por parte de tripulantes.

    Responder

  8. Paulo Costa:

    Caros colegas,

    Além dos preconceitos e discriminações já comentados aqui, tais como cor da pele, sexo e nacionalidade, já considerados comuns nas unidades estrangeiras onde por ventura muitos de nós trabalhamos, existe outro muito sério também: o preconceito profissional.
    Muitos destes estrangeiros realmente se consideram donos do conhecimento e da verdade nas unidades, respaldados por todas as proteções possíveis por parte das empresas. Só que nem sempre eles estão com essa bola toda e muitas das cartas deles são de procedência duvidosa quer do país de origem deles, quer das praças das unidades que, em troca de bom dinheiro pago pelas empresas, fornecem cartas marítimas daqueles países para pessoas que nunca tiveram a devida formação marinheira atestada.
    Quando aparece um brasileiro com sua carta quente, capacidade, inglês e uma boa bagagem profissional no currículo, muitos desses estrangeiros passam também a discriminá-lo profissionalmente, além da nacionalidade e outros fatores, com o principal objetivo de tirá-lo daquela unidade ou até da empresa o mais rápido possível. Este preconceito ocorre por puro medo deles de perder a boca para um brasileiro comprovadamente preparado, bem formado e corretamente certificado. E é claro, de onde vem um brasileiro bom, vêm mais.
    Já fui vítima deste tipo de preconceito e realmente é muito difícil lidar com isso. Você simplesmente não pode falhar profissionalmente e foi o que eu fiz: não falhei. Assim a perseguição, que já era pessoal mas só no campo profissional, foi mudando para a má fé e acusações mentirosas e infundadas; eu não tive escolha senão afrontar os perseguidores e desafiá-los, lembrando claramente que isto aqui é Brasil, meu país e não o país deles e que eu não precisava nem daquela empresa e nem daquela unidade para pagar minhas contas. Foi uma discussão feia entre eu e 03 gringos e eles recuaram a partir dali.
    Depois daquela discussão a perseguição acabou, pois eles viram que eu não tinha nada para perder ali, não ia pedir o meu, continuei afrontando e se eles continuassem me perseguindo, algum deles ia acabar preso no Brasil. Um belo dia seis meses depois da discussão final, eu recebi uma proposta bem melhor de outra e deixei aquela empresa, com a mesma cabeça erguida de quando fui contratado, mantendo até a porta da casa aberta.
    Para tudo há um limite e cada um deve saber o seu na hora de encarar os preconceitos e as discriminações, pois todos temos nossas responsabilidades e precisamos de nossos empregos. Devemos tentar criar o melhor ambiente possível e trabalhar sério para minimizar isso. Mas nunca se deixem abater ou humilhar por essas raças dentro do nosso país, principalmente quando o assunto é trabalho.
    É difícil ganhar a confiança dessa gente e quebrar os preconceitos mas não é impossível, mesmo que para isso seja necessário chutar o balde para ser respeitado. Nunca tenham medo de fazer isso!

    Saudações.

    PAULO SÉRGIO MONTEIRO COSTA
    CIAGA-EFOMM / 1984

    Responder

  9. Misael Berdeide:

    O Governo tem que colocar esses “Gringos” na parede né.. a pressão deve ficar pra eles, e não pra nós Brasileiros. O que vem acontecendo é que nós “Brasileiros” embarcamos em Plataformas, e Navios de Bandeira estrangeira em águas Brasileiras, e ficamos reféns dos caras, do tipo pisando em ovos pra não magoar, ou entrar em conflito com os caras.. isso não existe. Temos a nossa cultura. A cultura do Povo Brasileiro deve ser respeitada. Tem que ser assim. Lá no exterior, ninguém quer saber da cultura do Latino… temos que seguir a regra Européria ou Norte Americana, mas quando aqui na Bacia.. a coisa se inverte.
    Eu fico muito feliz quando embarco com Fiscal da Petrobrás que chega junto nos Gringos. Tem que ser assim. Quando eu vejo gringo criticar os Fiscais da Petrobrás, eu simplesmente falo: Brother, os caras são Clientes e ponto final. Não tem o que argumentar. Eles pagam o nosso salário e fim de papo.

    Chefe Paulo, muito bom o seu comentário.

    Responder

  10. Misael Berdeide:

    Laise,

    Sobre o assunto mulher, há muita polêmica, muita lenda, pouca participação das mulheres… ninguém sabe o que as mulheres pensam ou passam a bordo.. porque elas não falam nada.. ficam calada… é por aí.

    O Sindicato, como representante da Classe tem que agir, e agir pesado nesse assunto. Não temos mais tempo pra protestos e argumentos. A Mulher na Marinha Mercante é uma realidade, é competência e etc.

    Antes de nós fazermos “Barulho” no assunto Mulher (No Orkut) há meses atrás, o Sindicato nada falou desses problemas. Agora.. que o BlogMercante vem bombando, a coisa tomou outro caminho.

    O Sindicato amava mostrar mulher fardadinha, em fotos, coquetéis, reuniões e cerimônias.. bom, isso pra mim é EMBUSTE!! Eu sempre pensei que o Sindicato deve mostrar a REALIDADE da Mulher na MM… o resto é conversa fiada, é embuste.. é bobeira.. a vida da Mulher na MM não é um mar de rosas…

    Responder

  11. marcio fernandes trocado:

    Li uma reportagem muito interessante com Haroldo Costa onde ele descreve claramente a diferença entre racismo e discriminação racial. No Brasil, segundo ele, não há racismo e sim discriminação racial. Racismo como o que ocorreu nos EUA e na Africa do Sul nunca tivemos. Não que a discriminação também não seja nociva, e em parte concordo com ele pois o povo brasileiro é bem chegado a uma discriminação, e a nossa tem um origem muito mais social. Senão não seria um país fortemente miscigenado. Pobre no Brasil é discriminado por natureza e a nossa péssima distribuição de renda ajuda muito. Se não tiver um diploma então, já viu. O que ocorre aqui é o mesmo que o estrangeiro faz conosco. Eles trazem pra cá o que ocorre na Europa e nos EUA. Ninguém gosta de estrangeiro, não é verdade? Não deveria ser assim, pois só existem fronteiras por que nós a criamos. Raça, é a Raça Humana e todos pertencemos a ela. Uma frase dos índios Sioux: “A terra não pertence aos homens, os homens é que pertencem à terra”. Já sofri discriminação sim, por ser brasileiro em barco estrangeiro. Mas já peguei “gringos” muito gente boa que me trataram de igual pra igual, e isso tudo na mesma empresa e no mesmo barco, vai de cada um. E, com a assinatura embaixo da empresa, que me disse mesmo que aquilo ali não era pra mim e sim pra eles. Solução a curto prazo não tem. E também não podemos ficar a espera de atitudes de sindicato, empresa, Petrobras ou o que for. Isso é cultural, só muda quando as pessoas mudarem. Acho que falei o óbvio… Eu pelo menos não espero. Nunca aconteceu comigo, mas o dia em que tiver um atrito feio com algum estrangeiro farei apenas o certo, ligarei para a Petrobras comunicando o ocorrido. Conflito a bordo ela não tolera de jeito nenhum, manda o barco entrar, os dois desembarcarem e se explicarem lá no Apoio Marítimo. Bizú para os colegas, o procedimento é esse. Valeu? Forte abraço a todos.

    Responder


Deixe uma resposta

Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes