Motivação para um futuro Maquinista

sáb, out 30, 2010, 2.827 views

Ciaga/Ciaba, Destaques, Máquinas  

Bookmark and Share

por Breno Bidart

E-mail enviado por um Aluno da EFOMM

Boa noite Chefe Breno,

Sou aluno do 1º ano da EFOMM (CIABA).
Desculpa incomodá-lo, mas sou um frequentador assiduo do BlogMercante, o Berdeide sabe disso, já enviei vários emails ao mesmo.

Pois bem, estou ainda no primeiro ano do curso, final do ano com certeza decidirei por Máquinas, pois sempre gostei de engenharia, de montar e desmontar eletronicos, e chegando aqui só fiz confirmar minha certeza!

Então, como o senhor é um Oficial Superior de Máquinas, com certeza deve ter muita coisa para ensinar.

Gostaria de saber na sua opnião, que matérias da Escola, ou até mesmo assuntos que não são vistos na Escola, são mais importantes para um futuro Maquinista.

O que faz o diferencial em um maquinista?

Grato pela sua atenção

Um forte abraço

Vida longa ao BlogMercante

Aluno da EFOMM


Resposta do Blogueiro

Prezado Companheiro e Futuro Maquinista,

A decisão sobre o curso, em minha opinião, depende muito do temperamento de cada um.

Se você é uma pessoa que gosta de desafios diários, pensar sempre, decidir, e não gosta de ficar parado, com certeza o seu curso deve ser Máquinas. Tem que gostar de trabalhar, trabalhar muito. Pesquisar também. Ter bom senso e ser um pouco inteligente. Ter raciocínio para a área de Máquinas, no que diz respeito à manutenção geral.

Eu costumo dizer que “Máquinas” me escolheu, pois comecei o curso em Radiocomunicações. E a base do curso de Radiocomunicações era a eletrônica.

Mesmo que muita gente critique os cursos do CIAGA e CIABA,  eu considero bons para quem faz EFOMM. Os Cursos são bem técnicos, você não vai precisar estudar um monte de matérias que são ministradas nos cursos de Engenharia e não tem nenhuma utilidade, pois você não vai usar nunca, e só enche lingüiça.

Por exemplo:

Máquinas Auxiliares, Motores, Eletricidade, Automação e Refrigeração são matérias que serão de grande utilidade no seu dia-a-dia. Claro que têm outras, mas essas eu considero as que me foram mais úteis.

Quando trabalhei em terra por dois anos eu notei que os Engenheiros tinham menos conhecimento técnico que nós Maquinistas, principalmente no que diz respeito a manutenção e operação de equipamentos e capacidade de improvisar.

Normalmente os Maquinistas se dedicam a área que mais lhe interessa, são mais safos, ou que tem mais facilidades. Uns são muito safos em hidráulica e pneumática, outros em eletricidade, outros em eletrônica, outros em automação, outros exímios e cuidadosos operadores (cuidam do equipamento não permitindo que sofram avarias), outros em refrigeração, outros motores, outros bombas , outros bom na parte mecânica na manutenção (preventiva e corretiva), daí para frente.

Acredito que mais de 90% do conhecimento será adquirido a bordo com a experiência, dependendo do seu interesse.

Conheci muitos Maquinistas medíocres e continuaram assim até se aposentar como Chefe-de-Máquinas. Eu mesmo, quando embarquei, como Praticante, não sabia manipular uma chave de fenda ou um alicate. Nunca tinha usado uma furadeira. Eu sei que,com o tempo e esforço, me transformei em um grande Maquinista. Enquanto outros (muito mais inteligentes do que eu, mas pouco criativos) mantiveram estáveis, não desenvolvendo.  Eu me esforcei e corri atrás.

Hoje, domino a maioria das áreas que citei acima. Claro que tenho deficiência que procuro compensar com o talento da minha equipe.

O que mais conta para a profissão de técnico é a força de vontade e capacidade de evoluir e o aproveitamento das experiências. Quando me considerei um bom Maquinista eu já estava com 40 anos de idade, conheci alguns na faixa dos 30. Agora, tem “moleques” bem novos que dominam áreas específicas mesmo sem ser oficial.

É importante ter sempre contato com os desenhos e manuais.

É muito importante o Chefe ou Primeiro Oficial de Máquinas  explorarem isso e ajudar a desenvolver os talentos.

O 1OM tem que dominar, pelo menos um pouco, todas as áreas, que não é difícil com o tempo devido a experiência.

A bordo vamos encontrar todo o tipo de gente, devemos estar preparado para isso. Uns vão te ajudar e muito no seu aprendizado, e outros só atrapalhar. Mas tudo é passageiro e não devemos desistir jamais.

O Maquinista não deve nunca ser recalcado pois vai ver os seus amigos, de náutica, subirem muito rapidamente, principalmente ao comando. Mas existe uma satisfação do conhecimento e do valor que hoje em dia é mais reconhecido onde temos Oficiais de Máquinas desempenhado funções em terra com grandes resultados devido a seus conhecimentos técnicos.

Em terra ou empresas, que não sejam de navegação, o indivíduo de conhecimento técnico tem os seus salários muitas vezes maior que qualquer burocrata. A área técnica sempre foi muito valorizada.

Não vou mais alongar pois não pararia de escrever sobre a minha profissão. É muita coisa. Mas se tiver qualquer pergunta, pode enviar que , com a minha vivência procurarei responder da melhor maneira possível.

Abraço

Breno Bidart

Oficial Superior de Máquinas – CIAGA 1984

, , ,

43 Respostas para “Motivação para um futuro Maquinista”

  1. Misael Berdeide:

    Esse tipo de interação é muito importante.

    “O Profissional formado e experiente, com o Profissional recém formado.”

    No meu entender, todos acabam ganhando.

    Esse tipo de interação (A bordo) também subjaz à construção de ambientes colaborativos de aprendizagem, como acontece na Praticagem/Estágio, reforçando a idéia de que o conhecimento se constrói de forma compartilhada, e de que isto tem forte efeito motivador para quem esta começando.

    Parabéns Chefe Breno!

    Responder

    • Breno Bidart:

      Isso mesmo Berdeide.
      O profissional com experiência deve sempre estar disponível para atender os mais novos.
      Eu mesmo dependi muto da experiência dos mais antigos para ter conhecimento técnico.
      Digo que isso é uma cultura na Marinha Mercante.
      Breno Bidart

      Responder

  2. Ronaldo:

    Prezado Chefe Breno
    Acompanho o Blog desde o momento de sua criação, o Berdeide sabe bem disso – já num primeiro momento teci um comentário. Este meio de comunicação é muito rico em suas matérias. Mas sem dúvidas esse foi, para mim, o post mais proveitoso que já li. Meus mais sinceros cumprimentos por ser um grande profissional e possuir um vasto conhecimento. Os assuntos de maior importância numa Praça de Máquinas são exatamente esses. Parabéns pelo post. Brilhante.
    Saudações marinheiras

    Responder

    • Breno Bidart:

      Obrigado Ronaldo.
      Comentários como o seu faz com que eu me sinta cada vez mais útil e confirma que nós, na Marinha Mercante, devemos ajudar um ao outro.
      Este post só foi possível devido a brilhante iniciativa de um aluno da EFOMM interessado em seu futuro profissional. Como você pode ver foi uma pergunta muito bem bolada.
      O Berdeide não postou o seu nome,mas ele pode faze-lo nos comentários se assim o quiser.
      Breno Bidart

      Responder

      • Davi:

        Obrigado Chefe Breno!
        Pode ter certeza que isso que você escreveu é de grande incentivo e apoio para qualquer futuro maquinista ou até mesmo para algum que esteja começando agora a vida de mercante.
        Sem dúvidas gostei muito desse seu email e ainda mais do outro, foram de grande ajuda.
        Achei tão boas as respostas que mostrei-as para amigos meus que também pretendem fazer máquinas e todos gostaram muito.
        Sem dúvidas é muito importante esse contato com vocês profissionais mais experientes, pois todos aprendem muito com isso!
        Caso o Misael consiga um contato com o comandante daqui do Ciaba para vim dar a palestra de ‘empregabilidade na marinha mercante’, acho que seria uma porta aberta para o senhor também vir aqui passar um pouco de sua vasta experiencia para os alunos daqui do centro.
        Gostaria de agredecê-lo muito pela atenção para com os meus emails chefe.
        Um forte abraço

        VIDA LONGA AO BlogMercante

        Responder

        • Breno Bidart:

          Davi
          Obrigado pelas inteligentes perguntas.
          Na verdade a classe mercante agradece.
          Pensar na carreira, no início, é sinal de que você com certeza é um profissional visionário.
          Abraço
          breno Bidart

          Responder

  3. francisco mattos neto:

    Bom dia chefe Breno exelente materia,para mim foi de bastante proveito pois estou começando agora,e como mom e para mim é um forte ensentivo pois tambem quero ser um grande profissional como o senhor.

    Responder

    • Breno Bidart:

      Francisco
      A carreira na Marinha Mercante, principalmente quando nos achamos, é muito proveitosa.
      Nos meus últimos embarques esteve embarcado comigo, como Moço de Máquinas, o Rocha, que tinha muita garra. No navio que eu estava( da Transpetro) ele foi promovido a Marinheiro de Máquinas e fiquei sabendo recentemente que ele já é condutor, em navios da Bacia de Campos (O Nome dele é Rocha e é de Fortaleza). Já tenho notícias que ele já está almejando ser Oficial de Máquinas.
      O mais interessante de tudo é que quando ele foi promovido a Marinheiro de Máquinas, já estava com 50 anos de idade,
      Os jovens, que se dedicarem, terão mais facilidade de crescer na carreira. Desde que tenham a determinação do Rocha.
      Abraço
      Breno Bidart

      Responder

  4. Leonardo Nascimento:

    05 ítens para ser um bom Máquinista:
    1- Nunca tenha medo da máquina.
    2- Procure estudar o real funcionamento de cada uma delas ( MCP, MCAs, Máquina do Leme, Câmara frigorífica, Bombas, Caldeiras etc… ) e qual o objetivo final de cada uma delas.
    3- Nunca esqueça que as Máquinas precisam de manutenção preventiva, pois só assim podemos conseguir a QUEBRA ZERO.
    4- Qualquer dúvida, pergunte ( sem medo ) ao seu superior, ou a um outro maquinista.
    5- Tenha orgulho de ser maquinista. Saiba que a máquina é o coração do navio, e não esqueça que, o objetivo final de um navio, – levar e trazer carga – depende do bom funcionamento dessa gama de equipamentos.

    Leonardo Nascimento – OSM – Turma de 1976

    Responder

    • Breno Bidart:

      Leonardo
      Gostei do quebra ZERO.
      O difícil é convencer a empresa que temos de largar de lado a limpeza e a pintura(como prioridade) e nos dedicar mais a manutenção.
      ESSE QUEBRA ZERO DEVERIA SER DIFUNDIDO EM TODAS AS EMPRESAS.
      Mas, sem manutenção preventiva acirrada, como prioridade, isso é humanamente impossível.
      Obrigado pela proveitosa contribuição.
      Breno Bidart

      Responder

    • Misael Berdeide:

      Gostei do seu comentário Chefe Leonardo. “05 ítens para ser um bom Máquinista”

      Claro e Objetivo.

      Parabéns.

      Responder

  5. Jefferson:

    Excelente matéria. Fiquei triste quando cheguei ao final, queria mais informações!

    Ainda irei dar os primeiros passos rumo a carreira mercante, mas já tenho muita curiosidade em saber o que devo fazer para alcançar o topo da carreira de um maquinista. Pretendo começar fazendo as provas do CFAQ para ser moço de máquinas, e também a EFOMM (será minha última tentativa, terei 23 anos em 2011) para tentar começar mais acima. Como não tenho curso técnico ou faculdade, acho que ASOM está descartada no momento.

    No entanto, tenho certeza que se eu entrar como moço de máquinas não será um desperdício, pelo contrário. O conhecimento que posso adquirir dando duro nos cargos mais baixos pode ser essencial para o futuro.

    O que vocês podem me aconselhar quanto ao plano de carreira? Desconheço quanto tempo é necessário para subir, quais cursos devo fazer etc.

    Abraço

    Responder

    • Misael Berdeide:

      Jefferson,

      O Chefe Breno é um grande exemplo de profissional a ser seguido. Profissional dedicado a carreira no mar. Ele é Vapozeiro de verdade.

      Responder

    • CDM Thiago:

      Jefferson, se vc começar como moço máquinas o intertício é basicamente o seguinte:
      Após completar 02 anos de embarque como moço de máquinas vc poderá cambar para para categoria Marinheiro de máquinas (sem precisar fazer nenhum curso, bastando ter o tempo mínimo exigido), após 02 anos como marinheiro vc estará apto a se increver no curso de aperfeiçoamento (APAQ), que é feito parcialmente a distancia e onde vc deverá escolher entre duas áreas distintas: motores ou eletricidade. Após a conclusão do APAQ (que é composto de parte teorica a distancia com provas escritas na capitanias e prática no CIAGA/CIABA) vc poderá cambar para condutor de máquinas (se escolheu motores) ou eletricista (se escolheu eletricidade), dependendo de sua escolha.
      Mas nem tudo são flores, para cambar de moço para marinheiro existe uma borocracia imensa, muita gente perde oportunidades por conta disso, e quanto ao APAQ, tenho visto muita gente reclamar que há uma demora muito grande para se conseguir vagas na parte prática do curso, mas enfim…
      Depois de chegar a condutor ou eletricista, com 03 anos de embarque vc pode se increver no curso de acesso a oficial de máquinas, que consiste em 01 ano de aulas teoricas e mais 06 meses de estágio, após esse período vc é declarado 2º oficial de máquinas, mas para por aí pois ainda não há como progredir na carreira além disso!
      Se vc pretende mesmo ir para área de máquinas, te aconselho a fazer um curso técnico (mecânica/eletrotécnica/eletrônica), pois irão agregar muito valor a sua função.
      Para esclarecer todas as suas dúvidas te aconselho a ir no site da DPC (www.dpc.mar.mil.br) e baixar o aquivo da norman 13, lá explica tudo isso detalhadamente.
      Te desejo desde já boa sorte meu camarada!!!!

      Um grande abraço!

      Responder

      • Misael Berdeide:

        Excelente Bizu Thiago!

        Responder

      • Jefferson:

        Muito obrigado, Thiago. Ficou quase tudo esclarecido, o que falta vou aprender lendo o arquivo da norman, cujo o qual parece ser bem detalhado.

        Valeu pela atenção
        Abraço!

        Responder

      • Breno Bidart:

        Obrigado Thiago pelo esclarecimento.
        Os detalhes são muito importantes.
        Eu sempre digo que esses procedimentos de DPC sempre mudam.
        Na minha época de praticante e 2OM, embarquei com muitos Chefes de Máquinas que vieram de Moço de Máquinas.
        Isso que ocorre hoje é um problema cultural de Brasil, diria um retrocesso cultural.Que não acontece com o gringo.O Erik já deu muitos exemplos aqui no BlogMercante.
        Abraço
        Breno Bidart

        Responder

  6. Keila:

    Realmente o que o chefe Breno disse é verdade, mas não acho que deveria ser totalmente assim. Sou maquinista e me formei a pouco tempo, em 2006, na mesma escola que esse aluno e durante minha formação academica tive professores que ainda cobravam a “decoreba” como forma de aprendizado, de matérias que são essenciais como as que o Chefe Breno descreveu. Precisa haver mais investimento em laboratórios para que o estudante possa ter um pouco, nem que seja um minimo de prática na escola. Graças aos meus excelentes instrutores durante a praticagem e meus companheiros de trabalho durante a vida profissional posso dizer que aprendi muito, mas ainda é preciso que a escola dê um suporte maior.

    Sds

    Responder

    • Misael Berdeide:

      Keila,

      Concordo contigo. Simulador é pra ser usado. Deveriam aumentar as horas de estudo nos laboratorios e simuladores.

      Responder

    • Wladimir:

      Keila o que vocês chamam de laboratório antigamente se chamava de “estagio”, que infelizmente acabou. Apos um ano de escola vocês vinham pra bordo e passavam seis meses aprendendo o que era a profissão de maquinista. Quando voltavam pra escola ficava tudo mais fácil, pois toda a teoria que passavam pra gente automaticamente lincavamos com o que tínhamos visto a bordo. Quando regressávamos pra fazer a praticagem já sabíamos o que nos espera, ai era só aperfeiçoar o aprendizado.

      Responder

  7. Breno Bidart:

    Jefferson
    Fiz um comentário acima sobre um Moço de máquinas Rocha( comentário para o Francisco). O mesmo serve para você.
    Tente a EFOMM até o último momento. Tive amigos, da minha turma, que passaram na tábua da beirada, nem esperavam mais passar.Você ainda tem duas ou três tentativas.
    Não postei acima que o hoje CDM Rocha era formado em Ciências Contábeis e exercia a profissão há muitos anos.
    A Última notícia que tive dele é que estava em um dos navios novos, da Transpetro na bacia de Campos.
    Se a empresa não investir nesse grande profissional, a empresa quem vai perder.
    Veja bem, você é muito jovem.

    Abraço

    Responder

    • Jefferson:

      Tentarei a EFOMM mesmo, só tenho que superar minhas dificuldades com a matemática, muita gente está com vantagem em relação a mim neste momento por causa disto.

      Obrigado pela luz
      Abraço

      Responder

  8. luiz afonso:

    simulador é bom ,mais pra ser um bom maquinista o cara tem que gosta da coisa
    conheci praticantes que reclamavam do calor e do barulho

    Responder

  9. Keila:

    Ser maquinista é muito bom, não me arrependo da minha escolha, mas lembro que no fim do 1º ano quando eu fiz minha opção, 2 ou 3 professores fizeram uma palestra falando um pouco da carreira, da vida a bordo, mas mesmo assim fica aquela nuvem do que vem pela frente. Isso que vc falou Luiz Afonso de pratica reclamar é porque faltou um pouco mais de suporte na hora da decisão, é preciso mostrar como é de verdade. Só conheci uma Praça de Máquinas durante a praticagem, o porto de Miramar bem próximo da escola mais é uma grande dificuldade pra conseguir uma visita dos alunos devido tanta burocracia.

    Sds

    Responder

    • Misael Berdeide:

      As visitas tem um peso muito importante para escolha. Eu mesmo entrei na EFOMM querendo fazer Náutica, contudo, na viagem de escolha de especialidade (Na minha época tinha um curto estágio de 2 semanas), eu fui convidado a entrar na Praça de Máquinas.

      Quando a pessoa que nos acompanhava abriu a porta da praça de máquinas… veio aquele “Bafo Quente”….rsrs e naquele momento eu tive a certeza que não queria Máquinas…kkkk

      Responder

  10. Marcos Silveira:

    Amigos Mercantes,

    Em Centros de Ensino como o CIABA, mais afastado da indústria naval de grande porte, a APMM poderia patrocinar seminários com exposição dos fabricantes e prestadores de serviços nessa área. Essas exposições seriam como “Micro-Navalshores”, mas importantíssimas para o entendimento da carreira.

    Responder

    • Misael Berdeide:

      Excelente idéia. Acredito que a APMM irá colaborar bastante com a formação dos estudandes do CIABA.

      Responder

    • Breno Bidart:

      Os fabricantes dos equipamentos deveriam ter contato a vida toda da carreira do Oficial mercante. Começando na EFOMM. Isso seria tão importante que, não só Oficiais, ficariam muito habilitados nas manutenções,principalmente preventiva.
      No caso dos outros cursos, que não são Oficiais, ficaria difícil devido ao pouco tempo. Mas acompanharia a vida de todo o tripulante indo a bordo ministrando cursos. Tanto para o convés quanto para a máquina.
      Claro que nem sempre isso seria possível, mas sempre se abre uma brecha.
      O importante é ter o pessoal de bordo cada vez mais qualificado.
      Principalmente agora com advento do 1X1, os profissionais vão levar a carreira mais a sério e encarar como uma boa profissão.
      Breno Bidart

      Responder

  11. paulo:

    OLA
    QUE MES GERALMENTE SAI O PREPOM?

    Responder

  12. Andrey:

    Maquinista Breno,

    Sou engenheiro contratado na companhia de saneamento do pará, tenho 23 anos e uma renda de 2.7 mil e pretendo cursa o CIABA (Máquinas), porém recebi uma noticia essa semana, vou ser papai de gemeos.
    Com toda sua experiência, você acha que seria complicado eu largar meu emprego e cursar CIABA, depois que eu me formar existem muitas oportunidades?

    Aproveitando a oportunidade o maquinista fica afastado da familia por muito tempo quanto trabalha a bordo?

    Parabéns pelo seu blog!

    Responder

  13. Breno Bidart:

    Andrey
    Hoje em dia, O MARÍTIMO, não fica tanto tempo afastado da família como na minha época (década de 80 e 90 – ficávamos até dois anos embarcados)
    As empresas sérias já estão adotando o regime 1X1. Você durante o ano vai trabalhar 6 meses e folgar 6. Claro que a rotina é normalmente 15X15 ou 30×30. Principalmente se optar pelo offshore.
    O vapozeiro não gosta de falar de salários, não concordo com isso, ma pode ganhar um pouco menos de dez mil ou muito mais. Conheço alguns, no final de carreira, ganhando mais de 25 mil (O final da carreira pode chegar depois de mais ou menos dez anos). Tem também o lado sorte e a aplicação da Inteligência emocional. Mas nunca procure salários e sim qualidade de vida, dessa forma será muito feliz e viverá a vida intensamente. Se iniciar a carreira, procure uma empresa que ofereça UM PLANO DE PREVIDÊNCIA PRIVADA DE QUALIDADE( PODERIA DIZER,na minha opinião, que essa seria a parte mais importante), no final será muito gratificante.
    É uma profissão muitíssimo gratificante e hoje em dia, pode-se dizer que o vapozeiro passa mais tempo com a família que o terráqueo. Desde que escolha uma empresa séria que ofereça qualidade de vida. Os terráqueos estão saindo de casa de madrugada, deixando os filhos dormindo, e voltando muito tarde da noite, com os filhos também dormindo.
    Pode vir, para essa deliciosa profissão, que você não vai se arrepender.
    Claro que em algumas empresas vai encontrar muitos FDP que só pensa em subir na vida f… o irmãozinho – isso tem em todos os lugares.
    Sem mais delongas
    Abraço
    Breno Bidart OSM

    Responder

  14. Christiane:

    Não estou conseguindo encontrar na net as informações que preciso sobre a carreta marítima. Entre curso de Moço de máquinas e de convés, hoje onde estão as maiores chances? E uma das duas categorias tendo também curso técnico de mecânica ajuda? Com o curso técnico é possível ter uma oportunidade mais valorizada?
    Qual o salário inicial de um moço de máquinas?
    Estou pesquisando para meu filho e realmente já deve ter dado para perceber que não entendo nada do meio. Ele tem vontade de fazer moço de máquinas, e está hoje fazendo o curso técnico de mecanica. Eu quero estar mais por dentro do assunto para poder trocar umas idéias com ele. Podem me ajudar?

    Responder

    • Breno Bidart:

      Christiane:
      Quem tem curso técnico em mecânica pode tentar direto para mecânico.Mecânico é suboficial e depois, quem sabe, tentar para Oficial de Máquinas.
      Não precisa passar por moço de máquinas e marinheiro de máquinas.mesmo sendo bom também essas funções
      è bom consultar o site do :SINCOMAM – O SINDICATO NACIONAL DOS CONDUTORES DA MARINHA MERCANTE E AFINS.
      Breno Bidart

      Responder

  15. Naiara:

    Olá,
    Você sabe a porcentagem de aluno por vaga na GIAGA ?

    Responder

  16. Eric:

    Vale a pena fazer o CFAQ, depois ao invés de procurar emprego na área, fazer um curso técnico pra depois passar a procurar emprego na área mercante??

    Outra dúvida, idade atrapalha nessa profissão? Irei fazer este ano 31 anos e pretendo fazer o CFAQ do RJ, se eu passar nas provas.

    Responder

  17. Ramon:

    Ola!
    Gostaria de saber como é a vida em regime fechado. Com quantos anos leva para ser forma ? Quais são os principais desafios que o marinheiro mercante enfrenta pela frente ?

    Responder

  18. Bruno:

    Gostaria de saber se alguem conhece algum curso preparatório para a prova da ASOM, por distância ou presencial no Rio de Janeiro. Obrigado.

    Responder

    • Breno Bidart:

      Bruno
      Espero que alguém no blog te esclareça, sobre a sua dúvida. Os ASON/Ms anteriores se cobrava era experiência profissional, através de análise de currículos.Se não me engano essa foi a primeira turma que se exigiu concurso. Ao meu ver errado, pois o indivíduo, já formado, se não tiver qualquer experiência de mar, para náutica, e experiência de manutenção mecânica ou elétrica ou mecânica ou automação( qualquer uma serve) dificilmente vai desenvolver um bom trabalho ou se adaptar ao trabalho.

      Breno Bidart

      Responder

  19. Tauanne Tavares Malaquias:

    boa tarde a todos bom não tenho resposta . Mas queria dizer que tenho 12 anos e desde os 9 decidi que queria ser uma maquinista trabalhar na CPTM .
    Muita gente já me questionou o por quê escolhi essa profissão, eu amo trens sou apaixonada, sei sou pequena mas tenho a conciência de que para conseguir isso tenho que correr atrás . Queria saber quais cursos posso fazer para me tornar uma maquinista ?O que voceis acham disso ?

    Espero que possam me responder um forte abraço a todos e obrigada pela
    atenção .

    Responder

  20. souzakrwell:

    Parabéns osm Breno,e este tipo de matéria que vale a pena ler no blog mercante,este tipo de declaração motiva e divulga o lado bom do maritmo brasileiro. tem uma galerinha ai que esta usando o blog para confundir o pessoal que esta em inicio de carreira,falando mentiras sobre salario,carreira etc. Se 50% dos blogueiros mercante usasse esse nivel de exposição e tivesse o pensamento igual o do senhor,a marinha mercante seria um lugar bem melhor para se trabalhar,em relação a empregador x empregado,gestor x subordinado,transferencia de conhecimento tacito[experiencia de vida]como o senhor mesmo disse,tem uma galera que ajuda e tem outra que se a pessoa pedir auxilio seja pratico ou teorico,eles ate ajudam,mas depois vão dizer aos gestores do navio que o companheiro de trabalho e burro,não sabe nada.ate que ultimamente os gestores,lideres,chefes,administradores estão mudando a maneira de agir,ate porque o nivel do pessoal mercante mudou muito,hoje se encontra a bordo ate marinheiro e moço de maquinas com nivel superior,tecnico,e se as empresas investirem nos talentos da casa[prata da casa]elas vão ter uma guarnição mais responsavel,integrada e comprometida com os objetivos e metas da empresa,e conscientes do que a empresa espera deles. CDM Paulo.

    Responder


Deixe uma resposta

Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes