Embarcações de apoio Offshore no Brasil

dom, jan 22, 2012, 10.753 views

Destaques, Fotos, Navegação, Petróleo e Gás, Tecnologia  

Bookmark and Share

por Thiago Kempin

Este artigo visa apresentar ao nossos leitores, para aqueles que ainda não conhecem alguns tipos de embarcações que atuam nosso offshore brasileiro.

_______________________________________________________________________

AHTS – Anchor Handling Tug Supply 

Os Navios de Reboque e Manuseio de Âncoras (Anchor Handling Tug Supply Vessels) são normalmente identificados pelo tamanho de seu motor, em termos de potência efetiva (brake horsepower), ou sua força de tração estática, ou capacidade de reboque (Bollard Pull). O tamanho dos navios varia de acordo com a localização geográfica de suas operações. Os navios AHTSs caracterizam-se por terem convés de ré curtos em relação aos PSVs, possuindo equipamentos especializados no manuseio de âncoras, tais como guinchos de reboque, e acessórios especiais.

AHTS - Anchor Handling Tug Supply Vessels

Suas principais tarefas são: reboque, ancoragem e instalação de sondas e outras instalações móveis de alto-mar, colocação e assistência na amarração, assistência na construção e instalação em alto-mar, equipado para outros serviços como operações de resgate, combate a incêndios e recuperação de petróleo ou como navios de Emergência de Recuperação (Emergency Rescue and Recovery Vessels ou ERRVs). E podem realizar funções de apoio, mas com espaço mais limitado que em PSVs normais.

———————————————————————————————————–

PSV – Plataform Supply Vessel

Os Navios de Suprimento à Plataformas (Platform Supply Vessels ou PSVs) caracterizam-se por seus amplos espaços de convés e grande capacidade de manuseio de carga. Estes navios são utilizados no transporte de materiais, suprimentos e funcionários para, e a partir de, sondas e plataformas de perfuração em alto mar.

PSV Alfanave Cabo Frio, em operação na bacia de Campos - Foto Erik Azevedo

PSV - Plataform Supply Vessel-Foto Erik Azevedo

Suas principais tarefas são: transporte de suprimentos e equipamentos em geral. Sobre o convés: carregamento de contêineres, equipamentos e tubos, abaixo do convés: transporte de líquidos como lama, cimento, água, combustível e produtos químicos, em tanques apropriados e separados, atendimento a instalações de perfuração e produção, com unidades flutuantes de exploração, armazenamento e escoamento (FPSOs) e suporte à construção, manutenção e trabalho submarino em alto-mar. O principal serviço oferecido pelos PSVs  está relacionado a trabalhos de carga oferecidos para empresas de petróleo e gás que operam no Brasil. São navios destinados ao apoio para grandes locais de produção devido à ampla área de convés e à capacidade de carga abaixo do convés.

————————————————————————————————————-

OSRV - Oil Spill Recovery Vessel

OSRV - Oil Spill Recovery Vessel

Navio de combate a derramamento de óleo dotado de especificações que permitem trabalhar na mancha de óleo, em atmosfera onde a evaporação do petróleo produz gás natural, por isso é dotado de sistemas elétricos blindados para evitar a produção de faíscas. Tem equipamentos para aspirar o óleo derramado e armazenar num tanque a bordo. A capacidade de combater o derramamento pode ser criada num PSV ou AHTS.

———————————————————————————————————–

FAST BOAT / CREW BOAT

Fast Boat/Crew Boat

Embarcação utilizada para trocas de turmas, são embarcações de alta velocidade, como se fosse um PSV mais ágil. Estas embarcações também podem  transportar óleo combustível, água potável, produtos químicos, água industrial, tubulações e ferramentas especiais.

—————————————————————————————————————-

WELL STIMULATION

Blue Shark um dos barcos de estimulação no Brasil-Foto Cesar T Neves

Estimulação de Poços (Well Stimulation Vessel) – São embarcações dotadas de “plantas” para aplicação de injeção de agentes químicos, visando monitorar e melhorar a produtividade dos poços e linhas em operação. A estimulação de poços é uma intervenção feita para aumentar a produção, melhorando o fluxo de hidrocarbonetos a partir da área de drenagem no poço. A variedade de produtos químicos bombeado para o poço durante a perfuração e conclusão muitas vezes pode causar danos para a formação em torno entrando no reservatórios e bloqueando as gargantas dos poços.

—————————————————————————————————————-

Construction Support Vessels

Os Navios de Apoio à Construção (Construction Support Vessels ou CSVs) são em geral significantemente maiores e mais especializados que outros navios de apoio em alto mar, sendo principalmente utilizados no suporte a operações complexas de construção, instalação, manutenção, retirada de serviço para reparos, e outras operações sofisticadas realizadas em águas profundas em alto mar. Os CSVs também dão suporte a ROVs, atividades de mergulho, intervenções em poços, retirada de operação de plataformas, e outras operações complexas de construção. Em geral, os AHTSs e os CSVs demandam maiores custos diários (day rates) em relação aos PSVs, devido ao seu maior tamanho relativo e versatilidade, bem como a seus maiores custos de construção e operação.

Toisa Pegassus com seu guindaste gigante - Foto : Erik Azevedo - Bacia do Espírito Santo, Campo de Golfinho

Um navio especializado em instalações de equipamentos submarinos, como árvores de natal e manifolds - Foto Erik Azevedo

Principais tarefas: Apoio na colocação de tubos e instalação de tubulação de escoamento; Colocação e escavação para cabo umbilical; Instalação de tubulação de distribuição e execução de ligações submarinas; Monitoramento do toque em solo marinho (TDP – Touch Down Point); Preparação submarina.

————————————————————————————————————-

RSV – Research Supply Vessel

RSV - Research Supply Vessel / Skandi Salvador- Foto Erik Azevedo - Vitória ES

Um CSV (Research Supply Vessel ou Navio de Apoio à Pesquisa), Skandi Salvador, que é o único navio de bandeira brasileira no mercado de apoio nacional em alto mar, a desempenhar serviços como instalações submarinas, acomodação e abastecimento para plataforma de perfuração.

———————————————————————————————————

MPSV – MultiPurpose Supply Vessel

Um Supply com meios para movimentar ancoras

Um MPSV (Multipurpose Supply Vessel ou Navio Multitarefa, Suprimento e Manuseio de Âncoras): é uma embarcação que foi projetada para prestar serviços de manutenção da produção e descarregamento de carga e também ao manuseios de âncoras.

————————————————————————————————-

DSV Diving Support Vessel

Um moderno barco usado em operações de mergulho saturado e ROV - Foto Erik Azevedo, Porto de Vitória-http://naviosnoportodevitoriaes.blogspot.com/

DSV – Diving Support Vessel - DP utilizado para mergulhos profundos com ROV e pesquisas.

São embarcações de apoio às operações de mergulho de “superfície” ou saturado, dotados de vários equipamentos especiais (sino de mergulho, câmaras de saturação, guinchos especiais etc).

————————————————————————————————————-

PLSVPipe Laying Support Vessel

CONSTRUCTION/FLEXLAYNG

CONSTRUCTION/FLEXLAYNG/PIPE LAY - Foto Erik Azevedo

Lançamento de Linha (PLSV – Pipe Laying Support Vessel) – São embarcações que lançam e recolhem linhas no mar, utilizadas para conectar as plataformas a sistemas de produção de petróleo. Poem ser lançadas horizontal ou verticalmente.

CONSTRUCTION/FLEXLAY Vertical

Foto - http://naviosnoportodevitoriaes.blogspot.com/


CONSTRUCTION/FLEXLAY VERTICAL

————————————————————————————————————-

Ainda faltaram citar algumas embarcações, mas faremos num próximo artigo.

Edição e boa parte das fotos por Erik Azevedo

“VIDA LONGA AO BLOGMERCANTE”

, ,

20 Respostas para “Embarcações de apoio Offshore no Brasil”

  1. ch. Maq Sergio:

    PARABENS THIAGO, MAIS UMA VEZ VOCÊ NOS DA UM AULA DE OFFSHORE.

    Responder

  2. Rufus:

    Parabéns pelo catálogo pedagógico de embarcações de apóio a exploração e produção off-shore de óleo e gás. Apenas corrijam um pequeno detalhe: ‘main folds’ o termo certo é manifold que pode ter as seguintes traduções:

    Coletor

    s. Manifold
    • Distribuidor
    Manifold
    • Piano de válvulas
    • Tubo de distribuição
    O simplesmente fica como manifold.

    Sigam publicando artigos de qualidade como este.

    Responder

  3. Douglas zonta MNC:

    Fala galera vapozeira, mais uma vez os professores deram a matéria,a matéria foi dada basta a”nós” alunos da escola blogmercante apreciarmos o bom trabalho.

    Parabéns.

    Responder

  4. junior santos:

    Good work man!
    manter-se atualizado faz parte do negocio!
    valeu.

    Responder

  5. Renato de Jesus:

    Materia nota 1000 show!!! isso era para ser dito em sala de aula

    Responder

  6. Willian:

    Bem explicado!
    Valeu Kempin

    Responder

  7. Adauri:

    Parabéns Thiago, uma bela reportagem e você sempre demonstrado ter o espirito de vapozeiro nas veias. O Brasil precisa de pessoas como você.
    Valeu.

    Responder

  8. ricardo de carvalho machado:

    parabéns thiago a marinha mercante é viva por ter pessoas dedicadas como você para expandir esses conhecimentos que é muito útil para nós mercantes. saudações marinheiras.

    Responder

  9. Dario:

    Prezados
    Se puderem me ajuadar como arrumar emprego no ramo offshore, pois sou tec eletronicae tenho os cursos: plataformista, salvatagem heaut, nr 10, nr 33 e cusado ingles tecnico.
    S.O.S – (21)7862.7688

    Responder

  10. Ulysses Camara:

    Olá pessoal,

    Também adorei a matéria, realmente isso era pra ser conteúdo de aula nos cursos ministrados pela DPC, mas infelizmente este aprendizado só é adquirido com o tempo.

    Queria que me tirassem uma dúvida:
    Como aqui na Bacia RN/CE, esses tipos de embarcações são quase que inexistentes, gostaria de saber se para embarcar por estes gigantes mercantes são necessários cursos extras ou só com o CFAQ nos habilitam a trabalhar nestas embarcações?

    Bons ventos…

    Responder

    • Erik Azevedo:

      Qualquer Navio é necessário uma tripulação habilitada, e esta habilitação é o Certificado padrão STCW e a Carteira Marítima (CIR).

      Estas duas coisas só se consegue , nas Capitanias, ou nas únicas duas escolas que há no Br.

      Abraço

      Responder

  11. LUIZ AFONSO:

    ótima .
    Deveria de tempos em tempos haver atualização em tipos,nomes da embarcação ano de construção, armador ,afretador etc…

    Muito bom…

    Responder

  12. NAVIOS DE CARGA HAVILA:

    FAÇAM ALGUMA MATERIA SOBRE OS NAVIOS DA HAVILA POIS É UMA EMPRESA GRANDE E QUE TEM TOMADO GRANDE ESPAÇO EM AGUAS BRASILEIRAS INCLUSIVE TEM O HAVILA´FAITH QUE A POUCOS DIAS INCLUIU EM SEU QUADRO VARIOS BRASILEIROS OU SEJA TROCANDO MÃO DE OBRA DE VARIOS EUROPEUS POR BRASILEIROS JÁ É UM COMEÇO

    Responder

  13. Roberto Pitanga:

    four people that love sea life

    Responder

  14. Carlos Soledade:

    Tem que ser bastante profissional,por isso que amo a vida maritima.

    Responder

  15. Wesley Collyer:

    Colega Kempin,
    Cumprimento-o pelo artigo. Estamos preparando a 5ª edição do Dicionário de Comércio Marítimo e vamos ampliar o número de termos de offshore. Acessei seu artigo e gostei. Vou utilizar algumas informações e darei o devido crédito. Uma delas, citei vc no próprio verbete.
    Abrçs marinheiros em toda a tripulação, especialmente Matos e Berdeide.

    Responder

  16. Leonardo:

    Olá,

    podera me indicar empresas especializadas em carregamento de cimento em navios supply boat?

    Responder

  17. Robson:

    Obrigado pelo ótimo artigo.

    Alguém sabe como está a demanda de AHTS e Oil ring tug vessels no Brasil e empresas interessadas?

    Grato,

    Robson

    Responder


Deixe uma resposta

Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes