Indústria do Petróleo reclama de falta de profissionais

Bookmark and Share

por Erik Azevedo

Estava ontem no jornal O Estado de S. Paulo

Falta mão de obra para operar sondas do pré-sal

Mercado não tem profissionais capacitados para manipular os complexos mecanismos.

E as soluções? Este pessoal nunca apresenta soluções para o “problema”. Parece que todos eles nunca pisaram em uma sonda, e não conhecem a operação dos equipamentos, e nem processos de construção de navios. Pulam de cabeça em ganhar contratos, mas nada foi planejado à longo prazo.

Construção de uma SS na Coreia do Sul para empresa brasileira.

Já escrevemos aqui no BlogMercante, inúmeros artigos, revelando a realidade profissional, e as previsões de crescimento futuro do mercado.

Mostramos que existem estes programas furados da empresa do Governo e Marinha do Brasil, que não funcionam na prática. O Prominp, e parcerias da DPC com FEMAR, agora até o sindicato dos oficiais esta se aventurando no ramo.Porem nada disso traz uma solução.

Montando cascos na Coreia do Sul – Limpeza organização e qualidade

Os empresários do setor de perfuração alegam que estão em sérios apuros para cumprir contratos de  construção de novas sondas para o pré-sal, este não é o único problema da Sete Brasil, empresa criada há um ano com o objetivo de viabilizar a construção no País de sondas marítimas para a exploração petrolífera. Não há no mercado brasileiro profissionais capacitados para operar as sofisticadas sondas que começarão a ser entregues pelos estaleiros em 2015.

No Japão e Coreia do Sul, constroem uma nova sonda entre 1 ano e meio à 2 (navios sonda levam mais tempo), com toda tecnologia e processos avançados e pessoal qualificado e habituado.

Navios Sonda, saindo do Estaleiro na Coreia do Sul, para o Brasil

Tripulações

A maior preocupação é depois de entregue a sonda.

A carência de mão de obra qualificada para operar os complexos mecanismos e aparelhagens das sondas tem sido citada pelo presidente da Sete Brasil, João Carlos Ferraz, como “entrave” muito importante à entrada em operação dos equipamentos.


Preocupada com a demora nos processos envolvendo a fabricação e o afretamento de sondas, a Petrobras, aliada a fundos de pensão e bancos, decidiu criar a Sete Brasil, logo contratada, por convite e licitação, para providenciar a construção de 28 sondas de perfuração em águas profundas e ultraprofundas.


Os estaleiros deverão entregá-las entre 2015 e 2020, de acordo com prazos contratuais. Em cada uma delas trabalharão, por turno, cerca de 50 operários. Cada turno tem 12 horas. Ou seja: por dia, trabalharão 100 profissionais, no mínimo.

Como as sondas operam em mar aberto (estava escrito alto-mar), as equipes permanecem a bordo pelo período máximo de 14 dias (claro). Depois, os técnicos que as integram são substituídos pelo mesmo número de profissionais.

Assim, em cada sonda, terão de trabalhar (no mínimo) 200 profissionais altamente qualificados, divididos em quatro grupos de 50. Como são 28 sondas, haverá a necessidade de pelo menos 5,6 mil técnicos, sem considerar as forças de reserva, para as substituições. Palavras do “O Estado de S. Paulo”.

Segundo “eles” o Brasil não tem, hoje, essa quantidade de profissionais em condições de fazer o serviço. “Precisamos de trabalhadores super especializados. Esse é um gargalo enorme”, alertou o presidente da Sete Brasil em seminário realizado em abril na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan).

Na verdade deve se lembrar aos cavalheiros, que o Brasil não investe em educação de base, e nem em educação profissional (ensino técnico), infelizmente as pessoas continuam com as ideias à moda antiga arraigadas em si, vemos na outra ponta, uma enxurrada de cursinhos “para embarcar”, que na verdade não são cursos de formação de profissionais, e sim apenas cursos obrigatórios.
O contraste enorme do Brasil do petróleo com o Mar do Norte, é que lá, existem escolas especializadas em perfuração marítima, e manutenção de equipamentos para indústria do petróleo. O mais interessante é que estas escolas são as mesmas que formam oficiais e tripulantes para Indústria Marítima.

Quantos alunos já viram um BOP?

Aqui vemos (Marinha Mercante) uma preocupação em apenas aumentar vagas em cursos, que não estão atendendo a realidade para a indústria.
Quais dos alunos do CIAGA/CIABA, e capitanias (englobo aqui ASON/M), saem com formação para operar sondas? Quem tem conhecimentos de operação de BOP? Ou cursos de familiarização com equipamentos encontrados em FPSO’s e Sondas? Cursos de manobras nestas unidades? E outras operações mais, pois este segmento é muito diversificado.
Até hoje não existe um simulador de manuseio de ancoras nas escolas.

E quanto à pesquisa e desenvolvimento? Estão planejando pesquisas? Ou apenas fabricar certificados aos lotes?

Post to Twitter

, , , , , , , , , ,

51 Respostas para “Indústria do Petróleo reclama de falta de profissionais”

  1. Daniel Mello:

    Falta mesmo?

    ADPO se apresentando para o serviço!

    Responder

  2. PON:

    Mais uma excelente matéria do ERIK, realmente possa realmente a vir existir essa carência de mão de obra a partir do momento da chegada das novas unidades de perfuração no BRASIL. No entanto, o mercado do petróleo, é de certa forma,extremamente complicado de entrar, para galgar uma posição de nível técnico ou de engenharia é preciso muito esforço para participar do processo seletivo, ou se indicação de alguém para passar também pelo processo. A partir do momento que se encontra dentro desse ambiente, a cambagem para outras empresas que ofereçam melhores condições e melhores salários não é tao difícil quanto a busca pela primeira oportunidade. Digo isso porque sou ENG, TEC, e trabalhava na área SUBSEA antes de mudar para a área de náutica. O EIKE fez uma aposta junto com o SENAI para qualificar técnicos para trabalhar em uma de suas instalações no Porto do Açu e também a bordo dos novos FPSO oriundos de sua holding. As empresas poderiam buscar parcerias com instituições de ensino ao invés de cobrarem profissionais com bastante experiencia no mercado.

    Responder

    • Maximiliano Lagden Cavalcanti:

      Compatriota leitor, preciso alert lo da falta absoluta de informação atual do autor desta peça lamentavel de desinfomação, irresponsavel e quase lascivia. Há milhares de pessoas já qualificadas por cursos autorizados por todos niveis de governo. Certicado e otorgados pela Marinha Brasileira e todos os orgãos competentes dentro do maior rigor da lei e em conformidade com todas as exigencia de agencias regualdoras de todos os Minesterios involvidos neste processo. Portanto a realidade que tenho visto é, que há milhares de pessoas que foram incentivadas por meios de midia, reportagens encomendadas para fomentar um exodo da população economicamente ativa a “consumir” e “investir” em cursos preparatorios para ingressar na atividade “offshore” quando a realidade é que NÂO HÁ VAGAS de empregos nestas areas. Essa dita falta de mão de obra qualificada é uma falacia, para dizer no minimo, senão uma verdadeira mentira. Se voce fizer uma pesquisa seria de quantas pessoa já se qualificaram para ingressar no ramo de petroleo, voce vai ficar alarmado. É simples, descubra quantos cursos estão autorizados a fazer essas qualificações e veja quantas pessoa (pessoa fisica, particular ) estes cursos já certificaram.( EM um ano e meio ) Depois entre em contato com os Sindicatos e empresas do ramo e pergunta quantas pessoas ele contrataram no mesmo periodo.
      Essa realidade ninguem mostra. É facil ficar na frente de uma camera falando que há muitas oportunidades e que há muitas vagas. Só esquecem que isso causa uma corrida de massas de pessoas mal empregadas com baixo salarios em busca de uma grande ilusão uma vez que essas vagas NÂO EXISTEM.
      Quero conhecer seu grande e admirado autor dessa noticia maravlhosa para dizer para ele que antes de sair escrevendo essas “noticias” ele deveria fazer o dever de casa e consultar mais que algumas poucas fontes que ao meu entender tem interesses financeiro a serem atendidos e fazem uso da midia para se satisfazerem.
      Acorda pessoal, estão lesando voces. Nosso dinheiro é suado e não deve ser tratado com tamanho desreipeito.

      Responder

      • Claudio Silva:

        Que drama heim, eu quase chorei de pena de você agora.

        Venderam o kit macaé pra você também?

        Eu li a matéria 3 vezes, tudo que li é oque eu vejo. Não conheço nenhum Driller desempregado, ou peão de sonda especializado.

        Na matéria estava bem claro que muita gente é enganada com o conto do vigário vendido pelos cursinhos fundo de quintal que a DPC autorizou. Sem falar na carência de cursos mais realísticos, como cursos técnicos para estas funções mais especializadas, que nem existem.

        Eu trabalho em perfuração há pelo menos 15 anos, e de lá pra cá não vi queda ainda, pelo contrário ainda bem, e que venha mais 28 sondas! Mas não podemos deixar os gringos tomar nossas vagas, é preciso treinar os borrachas!

        Responder

        • rangel:

          Claudio tudo bem; Carta estou tentando contato com a Sete Brasil para saber aonde me capacitar para trabalhar nesta área e qual a formação necessária, porém, não recebo nenhuma resposta. Vc poderia me dar uma dica de algum curso para poder trabalhar nessa área?
          Obrigado

          Responder

      • Breno Bidart:

        AMIGO
        TER CURSO E SER CERTIFICADO NÃO QUER DIZER NADA.PRECISAMOS DE GENTE COM EXPERIÊNCIA, PRINCIPALMENTE PARA PASSAR PARA FRENTE.
        O INDIVÍDUO PODE SER CERTIFICADO E CURSADO NA CHINA, NO JAPÃO, NOS EUA E NA ALEMANHA E FALAR TODOS ESSES IDIOMAS MAS SE NÃO TIVER A PRÁTICA SÓ VAI QUEBRAR EQUIPAMENTO E DAR PREJUÍZOS, QUEM SABE ATÉ QUEBRAR A EMPRESA(O QUE QUASE ACONTECEU CO A EXTINTA DOCENAVE).
        O QUE SE PRECISA É QUE AS EMPRESAS NÃO FIQUEM APENAS ESPERANDO A MÃO DE OBRA PRONTA. TEM DE DAR OPORTUNIDADE NA PRÁTICA. NÃO SE PEGA EXPERI~ENCIA SENTADO EM BANCO DE ESCOLA.OUTRA COISA É O TALENTO E A CAPACIDADE DE IMPROVISAR E DESENVOLVER UM BOM TRABALHO. ISSO NÃO É DO MELHOR DA TURMA OU DO QUE TEM MAIS CURSO.
        Breno Bidart

        Responder

      • Alex:

        Concordo com vc, a começar que o mercado esta fechado até para oficiais, principalmente para marítimos em todas as posições e se não tiver um padrinho ferrou principalmente em plataformas, pois enquanto faltar em navios eles não irá abrir mercado em plataformas preferem fazer falsas propagandas e inchar o mercado do que melhorar o salário nos navios seria melhor competir o salário a nível Brasil do que competir a nível chinês ou hindu se pagasse melhor na cabotagem ou curso longo com certeza iriam todos para lá mesmo que por 1000 ou 2000 de diferença, navios são melhores para se trabalhar!
        Esta ruim achar vagas ate para oficiais.
        Enviei diversos currículos e ninguém me respondeu nem as “pirangueiras” tenho experiência nunca botei atestado nem tive infrações nas empresas por onde passei!
        O mercado realmente esta se fechando!
        Sou III/2 e tenho inglês fluente, pois tenho experiência em embarcações estrangeiras.
        Não se iludam e nem gastem dinheiro com algo que não dará retorno imediato um dia quem sabe!
        Onde há um curso de driller?
        Driller não e mercante. E técnico e ganha mais muito mais.
        Esse e o blog mercante e não o blog do driller kkkkkkkkkk
        Um dia se der sorte serei um.

        Responder

        • Fernando Ferreira:

          Enviado em 08/06/2012 às 12:05

          Alex, você é maquinista e ta na pedra?
          Estranho isso heim, quase todos os dias alguma empresa me manda propostas, mesmo que ruins são propostas, tudo bem que sou de náutica.

          O mercado não esta fechando, e sim selecionando, e ademais não para de chegar navio, o problema é que o sindicato abriu a porteira da RN 72. Navio tem de monte, mas não estão tripulando com brasileiros, ai a conversa é outra.
          E um ON/OM podem se tornar driller sim, alguns colegas pularam de lado, e o vapo que ta em sonda ele ta no ramo do petróleo e não em Marinha Mercante. Mude seu ponto de vista se quer realmente vir para alguma sonda. Claro que existe curso de driller, as empresas de perfuração quem treinam, a Transocean tem este curso em Macaé.

          Não deve ter lido o final da matéria…
          Aqui vemos (Marinha Mercante) uma preocupação em apenas aumentar vagas em cursos, que não estão atendendo a realidade para a indústria.
          Quais dos alunos do CIAGA/CIABA, e capitanias (englobo aqui ASON/M), saem com formação para operar sondas? Quem tem conhecimentos de operação de BOP? Ou cursos de familiarização com equipamentos encontrados em FPSO’s e Sondas? Cursos de manobras nestas unidades? E outras operações mais, pois este segmento é muito diversificado.
          Até hoje não existe um simulador de manuseio de ancoras nas escolas.

          Responder

        • Fernando Ferreira:

          Olha ai oque o sindicato fez por nós:
          http://www.blogmercante.com/2012/01/radio-cipo-a-farra-comecou/

          E me diga quem hoje em sã consciência iria ficar em cima de navio 4 meses empurrando água no longo curso, que nem existe mais, para o brasileiro.

          Quando comecei em sonda, tudo que era vapo torcia o nariz quando dizia que estava em empresa de perfuração. Era puro recalque, e ignorância, nem sabiam do que se tratava. Apenas sabiam que era atividade industrial, mas achavam que fardar um caqui em navio tanque ou em full contêiner era ser marítimo de verdade.
          Isso foi 17 anos atrás, agora hoje em dia, esse mesmo pessoal ta doido pra pular pra cima de sonda, agora que muito terrestre abriu o olho e faz muito trabalho que o vapo poderia fazer.
          Não tem relação alguma essa de falta de gente nas banheiras da cabotagem que ninguém quer com o petróleo, são ramos diferentes, a única relação é a ignorância da DPC, que não queria reconhecer nosso tempo de mar, mas as empresas dessas áreas nem tem ligação alguma com as pirangueiras de navegação.

          Abraço e sucesso pra você.

          Responder

  3. 2ON Staciarini:

    O Brasil é o único pais do BRIC que nao investe em Educação de Base nem Profissional!
    Gasta bilhoes com Copa, Olimpiada, Cachoeiras da vida, mas não quer pagar um salário digno para os professores!
    Qualquer MOC ganha mais que a maioria dos nossos professores, inclusive professores de faculdade.
    Novas universidades estao sucateadas! Tecnologia é algo raro!
    Eh por isso que nossa economia nao cresce!
    Vamos continuar sendo um pais de Indios trocando nosso ouro por espelhinhos!

    Responder

  4. 2ON Staciarini:

    Outra coisa!
    Gasto uma fortuna com cursos de aperfeiçoamento e não posso descontar nem um real do Leão!
    Deixar de trabalhar pra fazer curso lá fora é pra poucos ainda… Não temos ajuda do Governo pra isso, nem das empresas mais!
    Outra coisa que tem que ser colocada é a falta de profissionalismo de algumas empresas para com seus funcionários! Quem vai investir tempo e $ em algo pra 2015? O funcionario? O desempregado? O estudante?

    Responder

  5. Reginaldo Del Vecchio:

    Excelente as oportunidades e futuro promossor! estou na expectativa de algo nestes termos de trabalho, coloco-me a disposição para entrevistas de início de atividades embarcado. peço a gentileza entrarem em meu site http://www.cvlink.com.br/site/del onde descrevo detalhadamente minhas experiências profissionais na área,e serviços prestados.desde já agradeço o interesse.

    Responder

  6. Fernando Ferreira:

    Para quem não esta preparado adequadamente, falta emprego mesmo, o problema é que todo mundo escolhe o caminho mais fácil, vai lá paga um cursinho destes de petróleo que estão anunciados nos jornais, e tem lá um ar de curso autorizado, e acha que isso vai trazer alguma empregabilidade. Não dominam outro idioma, não tem formação técnica, nunca trabalharam em indústria alguma.

    E infelizmente tem muita gente nova janelando, entrando por indicações, isto ta custando caro, tem gente que vem dessas plataformas fixas que não balançam e estão indo promovidas para os novos navios sonda, mas nunca presenciaram situações de mar adverso.

    Tem o caso do guindasteiro com 15 anos em plataforma fixa, que foi para um navio destes novos que balança, e chegando lá ele não conseguia operar os guindastes, pq eram modernos demais (eram computadorizados), e o navio balança muito lá na bacia de santos. Fica complicado trabalhar assim.
    Quem esta nestas novas unidades sabe que tem que ficar treinando os novos, ou o pessoal que vem de terceirizada da peroba.

    Responder

  7. Breno Bidart:

    O fato é que não basta o país apenas investir em educação. As empresas ganham rios de dinheiro, investem bilhões e não querem dar oportunidades de estágios e cursos específicos para preparar a mão de obra. Não adianta estudar na melhor escola técnica ou faculdade, o profissional tem de ter a chance de ver na prática, vivenciar o processo.
    Veja nos cursos ASOM/N os profissionais mais experientes não recebem apoio de suas empresas e, se quiserem, tem de passar um anos, sem remuneração, para se aperfeiçoar.
    ESTA É A MENTALIDADE DO EMPRESARIADO BRASILEIRO.SÓ PENSA NO MOMENTO,NO AQUI, AGORA.E, QUERER MOSTRAR QUE ECONOMISA MAIS QUE O OUTRO E SUA GESTÃO É A QUE MENOS GASTA EM DETRIMENTO DA FORMAÇÃO, MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO.Por isso que as “máquinas” do gringo não quebram ( e funciona,) e as nossas vivem quebradas.
    Infelizmente spo aqui no Brasil que fazem isso.
    Breno Bidart

    Responder

  8. Marc Master:

    Bom dia à todos,

    Estive longe por uns tempos, mas acompanhava o blog quando podia.

    Em todo os anos que trabalho no mar, em particular no “petróleo”, não apenas eu mas os mais antigos sabem que muita gente sabe pouco ou nada sobre como funcionam os bastidores do petróleo.
    Estou atualmente como um superintendente de frota, estou acompanhando construção de novos navios sonda e drilling rig fora do Brasil, mas em breve irão tentar fazer no Brasil, o que com sinceridade afirmo que será um mega desafio.

    Parte do meu trabalho é ajudar a selecionar boa parte do pessoal, estamos com uma grande dificuldade em conciliar os anseios do cliente, com os profissionais que o RH faz as primeiras fazes da seleção.
    Já à meses que não encontramos guindasteiros que tenham habilitação, e conhecimento no tipo de guindaste que foi escolhido no projeto. Ou aparecem senhores muito antigos, que não tem qualquer contato com a nova tecnologia, ou aparecem jovens recém promovidos nas empreiteiras tanto em terra quanto no mar.
    Mas o cliente exige que tenham 5 anos no mínimo de experiência.
    O mesmo ocorre para as funções na sonda, torrista, driller, e assistentes, Tool Pusher, e até OIM.
    Na área de manutenção esta com o mesmo problema, não se encontra Subsea ou Rig mechanic pelas esquinas, ou supervisor de elétrica com 10 anos de experiencia como esta no contrato.

    Enfim será um grande desafio montar estes navios no Brasil, depois do fracasso que foi o EAS no Pernambuco, pois aquele mesmo estaleiro se propõe à montar sondas.
    Eu não sei como o farão isto, pois não se fabrica mão de obra qualificada do dia para noite.

    As pessoas confundem formação técnica especializada com estes cursinhos de 2 semanas que dão apenas uma noção de alguma atividade, destes profissionais recebemos currículos aos montes.

    Abraços à todos
    Marc

    Responder

    • Osvaldo:

      Divulgue o seu contato ou Empresa que trabalha, que sabe não aparecem pessoas qualificadas.

      Responder

      • Marc Master:

        Osvaldo, o grupo que trabalho, recebe os candidatos, através de agencias no Brasil.
        Sei que uma delas é a ICN, mas sei que há outras, porem não tenho acesso direto à estas agências, mas sei que elas fazem anuncio das vagas, infelizmente não podemos pegar ninguém diretamente, pois isto é contratual, apenas alta supervisão é contratada diretamente mas por indicação. E eu não sou do RH.

        Abraço

        Responder

    • diogo:

      desejo saber de quem trabalha na área quais cursos bons ( de qualidade) para se qualificar em petróleo e gás. Vejo por aí muita enganação kit Macaé. Tenho o curso de mecânica industrial mas quero trabalhar em plataforma.
      agradeço quem poder me indicar bons cursos nessa área pois só vejo enganação.

      agradeço respostas!
      quemsabe.rj@gmail.com

      Responder

  9. MNC - Reginaldo Fonseca:

    Em princípio vale ressaltar que o mercado está “AQUECIDO” e que esta situação de falta de qualificação dos profissionais brasileiros deve-se ao fator BOA VONTADE.
    Falo assim por que se o governo e as instituições ligadas ao EPM e isto inclui sindicatos (que diga-se de passagem não fazem absolutamente nada que não lhes dê retorno financeiro) sabiam que no futuro teriam problemas desta ordem e nada fizeram para assegurar emprego aos profissionais maritimos Brasileiros.
    Por outro lado, tá cheio de gente na MARINHA MERCANTE que mesmo com este “AQUECIMENTO” está desempregada , agora, em minha concepção, acredito que está na hora de mostrar interesse por estas pessoas fazendo com que eles tenham condições de se preparar para ocupar futuramente estas vagas, e minha ideia não busca pessoas que estão fora da área MARITIMA por que eles não sabem como é a vida no mar, certamente as pessoas que já possuem experiencia na área aprendem muito mais rápido.
    No entanto, sei que nossas ideias para os “INTELIGENTES” significa nada, e com isso, as escolas que vão profissionalizar os candidatos em tempo recorde além de por em cheque o nome da instituição formando pessoas sem o minimo de experiência pratica (fazendo jus assim o termo de PROFISSIONAIS FEITOS NA COXA) abrem precedentes para que a corrupção que já existe nas escolas de formação seja ainda mais acentuda, pois, estamos CARECAS de saber que muita gente que sabe o que faz está por ai a mercê da sorte por que não MOLHAM O PÉ DA PLANTA nas escolas de formação de maritimos.
    Na verdade estes cursos repentinos VÃO VIRAR VERDADEIROS LEILÕES e quem der mais MONEY será candidato certo.
    Desta forma quero deixar aqui MEUS PÊSAMES aos “SENHORES FEUDAIS” que com suas nobrezas ainda continuam fazendo da PLEBE suas maiores fontes de manutenção financeira e de corrupção.

    VIVA O BRASIL.

    Responder

  10. Diego:

    Vida de recém formado sem oportunidade é um mar… De aborrecimento.

    Responder

  11. Burno:

    Como isso eh possivel??
    Sou DPO com vasta experiencia e nao vejo vaga nenhuma em sondas. E tem estrangeiro a rodo nessa funcao.

    Responder

  12. HENRIQUE:

    ISSO TUDO É PURA ENGANAÇÃO SÓ PAPO FURADO…ESSA FOI MAIS UMA DESCULPA DOS ARMADORES PARA CONTRATAREM GRINGOS A PREÇO DE BANANA E DEIXAR OS PROFISSIONAIS BRASILEIROS A VER NAVIOS,SONDAS,REBOCADORES….ETC….

    Responder

  13. Gilmar Guilherme:

    BRA$IL: UM PAÍS DE TODOS!! (MENOS DOS BRASILEIROS!)

    Responder

  14. remoabs:

    Amigos, vou deixar aqui minhas poucas palavras!!

    O brasil esta assim, por conta do governo…todos sabemos.
    um forte exemplo é o PROMINP que não chamou os aprovados do 5 ciclo(2010) e já começa a inscrição para 6 ciclo(2012).

    Gostaria se possivel que o blog post sobre o assunto estou a disposição pois eu mesmo fui aprovado para tec mecanico em 2010 e até hoje não recebi noticias so uma carta comunicando que o curso nã tem previsão de inicio.
    o que já era obvio.
    remoabs@bol.com.br
    ———————————-
    https://portal.prominp.com.br/prom/carregarAcompanhamentoInscricao.do
    Curso: OM – Aperfeiçoamento de Mecânica Aplicada a Petróleo e Gás Código: AMECPEG
    Turma: OM-AMECPEG-RJ-003 Data de inscrição: 17/08/2010 21:49:46
    Turno: Integral Município: Macaé
    Tipo: PUBLICO Entregou CID?: Não
    Resultado do Processo Seletivo: Aprovado
    Taxa de Inscrição: Pagamento Efetuado
    Data da Prova: 24/10/2010 Horário da Prova:
    Local de Realização: FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACAE – FUNEMAC – PREDIO: ÚNICO Sala: ANDAR: 2 – SALA: 203

    Endereço: FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE MACAE – FUNEMAC –
    PREDIO: ÚNICO Classificação: 8
    Solicitou Isenção?: Não

    Responder

  15. Anderson:

    Oi
    Eu estou a procura de trabalho em navio sonda, eu sou mnm marinheiro de maquinas, e to a procura de trabalho em macaé, se um de vcs poderem me ajudar ficaria muito grato.

    contatos
    anderson_mom@hotmail.com
    (47)9154-1421

    Responder

  16. SERGIO:

    O FDPEMBA DO GRINGO VEM PRAS SONDAS AQUI E ENTRA DE TUDO ! DECKPUSHER, BOSUM, MARINHEIRO GENÉRICO, SEGURANÇA…OS CARAS FICAM PULANDO DE FUNÇÃO COMO QUEREM, VAI PRA ELÉTRICA DEPOIS VAI PRA ASSIST.DRILLER…UMA BAGUNÇA!

    TODOS SABEMOS DISSO, QUE ATIRE A PRIMEIRA PEDRA QUEM NUNCA VIU ISSO ACONTECER.

    Responder

  17. danilo dos anjos:

    Gostaria de trabalhar nesta area, como faço?
    sds danilo

    Responder

  18. Carlos Jose dos Santos:

    Sou Taifeiro Offshore, trabalho ha um ano na área e,gostaraia de tira carteira CIR carteira maritina, como faço? moro no Rio de janeiro, obrigado.

    Responder

  19. fernando dutra:

    alguém te emails dessas empresas para que eu possa enviar meu currículo. pós tenho experiência como mecânico industrial,encanador caldeireiro e operador de produção quem souber por favor envie para esse email fernando.dtura@ig.com.br abraço atodos

    Responder

  20. Igor:

    Enquanto isso no ciaga , alunos continuam aprendendo: a engraxar sapato (se nao tiver brilhando nao serve e tem q pagar flexao com “veteranos”) , ficar “de serviço” parado q nem um babaca perdendo noites de sono(nao entendi o propósito disso, se alguem souber me avise) ,ficar marchando ( inutilidade mor ) , ficar fazendo vinco na calça ( se nao fizer o “veterano adaptador” leva vc pra sala do comca) parece até jardim de infância. Enquanto a marinha mercante brasileira continuar assim , o gringo sempre vai levar vantagem. SEMPRE. Quem já foi ou é aluno das efomm sabe do q estou falando e tirem suas próprias conclusões. Sem falar na guerrinha entre oriundos da efomm contra quem é de ASON/M e contra ACON/M q por si só ja desune a classe dos oficiais logo de cara ainda na formação.
    Será q é essa a formação adequada ?

    Responder

  21. paulo robertp:

    como faço para tirar a carteira do cir. alguem pode me ajudar..por favor!!! muito obrigado..

    Responder

  22. Morégula:

    Eu sempre tive vontade de trabalhar na área.

    Responder

  23. Flávio:

    Eu sempre vejo anúncios k faltam pessoas qualificadas na área naval ,soldadores montador encanador , tenho experiência , mas o Brasil naw da oportunidade !
    Trabalho 15 anos na área mas fora do Brasil !!
    Já mandei vários currículo para empresas no Brasil e nem respondem !!!

    Responder

  24. Robson:

    ola pessoal 22 anos já servi o EB trabalhei duas temporadas de salva-vidas-civil agora no momento trabalho na construção civil sou carpiteiro, olha detesto ser enganado…fiquei abismado ao ler os cometario,estou fazendo um curso de auxiliar de plataforma da cespro mas do que adianta,aula pratica não existe…falam de salario altos que em breve muitas vagas offshore nas plataformas e tal.Agora eu pretendo fazer um curso de megulhador soldador gosto de profundidade esta no mar…um amigo me indicou a Divers university em santos gostaria de saber a opinião de vocês obrigado!email…kelou_domar@hotmail.com

    Responder

  25. clovis ferreira de oliveira:

    olá,o meu nome é clovis e gostaria de me empregar na area de petroleo e gas. onde conluir o curso de tecnico em petroleo e gas e cursei tambem o curso de plataforma. nao sou casado e tenho facilidade em viajar. objetivo: contribuir para o crescimento da empresa. tenho facilidade de adaptação em diversos ambientes profissionais,sou dinamico,comunicativo, gosto de desafios, facilidade em relacionamento em equipes,focando mete e desafios. contato – (098) 32466568 ou 96071882.

    Responder

  26. clovis ferreira de oliveira:

    clovis ferreira de oliveira * conhecimentos; participei de palestras proferidas por docentes da unisanta e tecnicos da petrobrás, pla universidade santa cecilia em santo-sp. onde formos submetidos aos testes de toxidade,conduta em laboratorio,ensaio de tensão,equipamentos e processos,refino de petroleo,historia de evoluçao da microscopia.

    Responder

  27. clovis ferreira de oliveira:

    meu contato é esse ( 098 ) 32466562 ( 96071882 )obrigado! estou no aguardo de sua proposta!

    Responder

  28. jhonata:

    estou querendo trabalhar porfavor obrigado meu numero e esse se queser entrar en contato (21)8787-0265

    Responder

  29. george:

    fiz a seleção nacional, cursei e fui diplomado em 8/2012 tudo pago pelo povo brasileiro, se na coréia é tudo isso ai?, então que façam uma coréia aqui, para qualificação em massa oque não dá é ficar perdendo tempo, turno de 6h. mas 24h. sem parar, quero ver se não vai andar, se maomé não vai a montanha?.

    Responder

  30. Santos Silva:

    Meu nome é Santos Fernandes da Silva, o objetivo de meu contato é apresentar-me profissionalmente como candidato a ser avaliado, visando trabalhar no quadro de profissionais técnicos e Engenhearia.

    Sou Engenheiro com experiência nas áreas de planejamento, projeto e implantação de sistemas de telecomunicações (radiodifusão e redes de transmissão de média e longa distância), tendo também atuado nas indústrias de reparo naval (durante período de estágio supervisionado em estaleiro, aprendendo e participando em manobras de doca flutuante e reparos em embarcações) e, reparo em aeronaves (durante período de estágio supervisionado, aprendendo e participando durante reparos e testes em sistemas hidráulicos de aeronaves em parque de material aeronáutico).

    Graduado em Engenharia Eletrônica, com Pós-Graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho, atualmente estou cursando Pós-Graduação em Inspeção de Equipamentos e Materiais no SENAI / RJ. Durante os últimos anos me dediquei a investir na busca por novas qualificações e conhecimentos técnicos, juntamente com o aprimoramento de minha mão de obra, obtendo inclusive as certificados dos cursos de Interpretação dos Requisitos Normativos e Auditoria Interna de Sistemas de Gestão da Qualidade, Gestão Ambiental e Gestão da Qualidade Aeroespacial, todos com base nas Normas ISO – 9001; ISO 14001 e SAE AS 9100 / NBR 15100 respectivamente.

    Gostaria de aprofundar melhor as razões da minha candidatura numa possível entrevista e o meu real pedido de oportunidade de trabalho.
    Aguardo com interesse a oportunidade de uma entrevista pessoal, ocasião na qual descreverei os motivos pelos quais busco a oportunidade de trabalhar.

    Peço a gentileza de contatar-me pelos telefones (21) 8113-0631\ (21) 9761-3217 e pelos endereços de E-mail: sfds@terra.com.br & santosfernandes@zipmail.com.br
    Atenciosamente,
    Santos Fernandes da Silva
    Rio de Janeiro / RJ

    Responder

  31. Rodolfo:

    Boa tarde, para todos!! que estão em busca de oportunidade, assim como eu.
    Gostaria de uma oportunidade na área de Mecânico, Tecnico de Material, Almoxarife, tanto Offshore quanto Onshore.( já tenho experiência)

    Agradeço por este espaço.

    Rodolfo.

    Responder


Deixe uma resposta

Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes